Sobre o Equador

História

Apesar da feroz oposição, os conquistadores incas dominaram rapidamente a região, auxiliados por uma forte liderança e por políticas de matrimônios mistos. A guerra pela herança do novo reino inca enfraqueceu e dividiu a região às vésperas da chegada dos invasores espanhóis.

Os primeiros espanhóis desembarcaram no norte do Equador em 1526. Pizarro chegou ao país em 1532 para semear o terror entre as populações indígenas, graças a seus cavalos, armaduras e armas. O famoso líder inca Atahualpa foi emboscado, detido para o resgate, sofreu atentado e foi executado, e o Império Inca foi demolido com eficácia. Quito resistiu durante dois anos, mas finalmente foi arrasada pelo general de Atahualpa, Rumiñahui, que preferiu que a cidade fosse destruída do que perdida completamente para as mãos dos invasores espanhóis. Quito foi refundada em dezembro de 1534. Joje em dia, somente um lugar inca se mantem intacto no Equador – Ingapirca, ao norte dos assentamentos indígenas de Cuenca. Depois o ocorrido, a vida era terrível sob o domínio espanhol.

A Espanha governou a colônia desde Lima, Peru, até 1739 quando foi transferido ao vice-reinado da Colômbia. Foi em grande parte rural e conservadora, com grandes fazendas de gado introduzido e as bananas cultivadas em laboratório.

Fatos

flag

Fatos Gerais

Nome completo: República do Equador.
Capital: Quito.
Fuso horário: GMT / UTC -5.
Eletricidade: 110-120V 60Hz.
Moeda: Dólar americano. ($ EE.UU.).
Código telefônico do País: 593.

Pessoas

População: 13.363.593 (julho 2005 est).
Estrutura de idades: 0-14 anos: 33,5%, 15-64 anos: 61,5%, 65 anos e más: 4,9%.
Taxa de crescimento: 1,24%.
Religião: Mais de 90% católicos romanos, pequena minoria de outras religiões cristãs.

Geografia

Coordenadas geográficas: 2 00 S, 77 30 W.
Área total: 283.560 quilômetros quadrados, em terra: 276,840 quilômetros quadrados, em água: 6.720 quilômetros quadrados.
Limites de extensão: total: 2.010 km, os países que fazem fronteira: Colômbia 590 quilômetros, Peru 1.420 quilômetros.
Costas: 2.237 quilômetros.
Clima: tropical ao longo da costa, chegando a se mais fresco no interior nas elevações mais altas, terras baixas tropicais da selva amazônica.
Relevo: planície costeira (costa), serra central interandina (serra), e a planície do começo da selva do leste (oriente).
Extremos de elevação: ponto mais baixo: Oceano Pacífico 0 m, ponto mais alto: Chimborazo 6310 m.
Recursos naturais: petróleo, pesca, madeira, energia hidroelétrica.

 

Governo

Tipo de Governo: República.
Divisões administrativas: 24 províncias (Províncias, singular – província), Azuay, Bolívar, Cañar, Carchi, Chimborazo, Cotopaxi, El Oro, Esmeraldas, Galápagos, Guayas, Imbabura, Loja, Los Ríos, Manabí, Morona-Santiago, Napo, Orellana , Pasxícara, Pichincha, Santa Elena, Santo Domingo de los Tsáchilas Sucumbíos, Tungurahua, Zamora-Chinchipe.
Independência: 24 de maio 1822 (da Espanha).
Festa nacional: a Independência (Quito) – 10 de agosto (1809).

Economia

Equador tem importantes recursos de petróleo, que têm representado 40% da renda das exportações do país e um quarto da renda do orçamento do governo central nos últimos anos. Como consequência, as flutuações dos preços do mercado mundial podem ter um impacto nacional substancial. No final de 1990 o Equador sofreu sua pior crise econômica, desastres naturais e uma forte queda dos preços mundiais do petróleo impulsionaram a queda livre da economia do Equador em 1999. O PIB real contraiu mais de 6%, com piora da pobreza de maneira significativa. O sistema bancário também foi derrubado e o Equador deixou de pagar sua dívida externa neste mesmo ano. A moeda depreciou-se em 70% em 1999 e, a bordo da hiperinflação, o governo de Mahuad anunciou que dolarizaria a economia. No entanto, em um golpe de estado Mahuad foi derrubado de seu cargo em janeiro de 2000 e, depois de uma junta de curta duração, não havendo apoio militar, o vice-presidente Gustavo Noboa assumiu a presidência. Em março de 2000 o Congresso aprovou uma série de reformas estruturais que também contribuíram para adoção do dólar americano como moeda de curso legal. A dolarização estabilizou a economia e nos anos seguintes o crescimento voltou aos níveis anteriores à crise. Sob o governo de Lucio Gutiérrez – janeiro de 2003 a abril de 2005 – o Equador beneficiou-se do aumento dos preços mundiais do petróleo e o novo governo interino de Alfredo Palácio propôs reformas econômicas para reduzir a vulnerabilidade do Equador aos vaivéns dos preços do petróleo e às crises financeiras. Os altos preços do petróleo mantiveram a conta corrente em superávit. Palácio se comprometeu a gastar uma parte da bonança petroleira em projetos sociais.

Força trabalhadora – por profissão: agricultura 8%, indústria 24%, serviços 68%.
Taxa de desemprego: 5,3%.
População abaixo da linha da pobreza: 25,6%.
Taxa de inflação: 2%.

Transporte
Aeroportos: 25
Ferrovias: 966 quilômetros (a maioria não utilizadas).
Estradas: total: 43.197 quilômetros, pavimentadas: 7.287 quilômetros, não pavimentadas: 35.910 quilômetros.

 


 

Ecuador Geografia

“A geografia dita a atividade”. Esta frase funciona muito bem para descrever a importância de entender a geografia do Equador. Em seguida mostra ser uma breve explicação de cada uma das principais regiões geográficas do Equador como um funcionário da Gulliver poderia descrevê-las a um cliente. Isto é, pretende somente ser um guia aproximado para aprender o que funciona para você.

Nota: Isso também se enumera em ordem de preferência das pessoas em geral do que fazer no Equador.

As Ilhas Galápagos

“Em frente à costa do Equador, a 1.000 km estão as belas Ilhas Galápagos. Como vocês sabem, estas se tornaram famosas devido a Charles Darwin em 1800. Há várias opções disponíveis para visitar as ilhas e se vocês estão interessados em escutar informações sobre elas eu ficarei feliz de compartilhar algumas ideias com vocês em um minuto.”

Região Norte-Central

“Esta sessão superior da Avenida dos Vulcões é espetacular. A poucas horas de viagem de Quito, tem mais de oito vulcões, os mais importantes, incluindo o mais famoso: o Cotopaxi, qu é o de maior atividade e o vulcão nevado do alto do mundo. Somos proprietários de uma bela Pousada a quarenta minutos do sul de Quito chamada Papagaio, que está nas redondezas do pequeno povoado de Machachi.

Desta localização ideal há várias atividades disponíveis, incluindo excursões de bicicleta ao Cotopaxi, escalada ou visitas a Pasachoa, Corazón, Ilinizas e Cotopaxi, assim como andar a cavalo por um dia ou em viagens de vários dias.

Também no norte entramos em maravilhosos lugares para visita, tais como Otavalo, o mercado mundialmente famoso. Mindo, que é conhecido por sua população de aves e mariposas faz com que seja uma viagem de um dia excepcional desde Quito ou uma parada de vários dias. Logo, evidentemente, vem Quito, que serve como centro destes outros lugares, assim como um grande lugar para visitar lugares de interesse de dois ou três dias.”

Região Amazônica

“Há muitas áreas diferentes na selva. De fato, é possível viajar algumas horas em uma direção e estar em uma zona completamente diferente ecológica e geograficamente. Aqui na Gulliver trabalhamos com duas áreas principais da selva.

No norte encontra-se a Reserva de Producción Faunistica Cuyabeno, que se compõe de 8 grandes lagoas de onde se originam os botos cor-de-rosa, jacarés, piranhas, macacos, etc. Esta área representa o que a maioria das pessoas considera como a “Amazônia”, região do Equador.

Um pouco mais ao sul e consideravelmente mais perto de Quito está uma zona montanhosa da selva, perto de Tena. Esta área conta com mais rios por milha quadrada do que qualquer outra parte do mundo. Em particular, a selva ao redor de Tena é conhecida por seu incrível rafting de águas brancas e combinações Jungle Tour. Mesmo que os animais de Tena não sejam dos mesmos tipos daqueles de Cuyabeno, existem muitas oportunidades de se ver macacos, papagaios, etc.”

Região Andes Sul

“Uma das principais atrações do sul do Equador é a chamativa “Nariz del Diablo”, que se pode visitar de trem desde Riobamba ou Alusí, a bela cidade colonial de Cuenca, que é o lar de mais catedrais per capita do que qualquer outra cidade do Equador e mais ao sul: Loja e Vilcabamba.

Justo fora de Cuenca há uma reserva natural digna de visita, conhecida como o Parque Nacional Cajas. Cajas contém mais de 232 lagos alpinos i muitos deles estão cheios da saborosa truta de lago. Você pode visitar este parque, seja como um dia de viagem desde Cuenca ou como uma viagem de trekking de vários dias.”

Região Costa

“Em uma das zonas mais populares da costa estão Canoa, ao norte de um pequeno povoado pesqueiro chamado San Vicente a cerca de 10 horas de Quito, e ainda Mañtanita, uma cidade com noites mais vibrantes e grandes opções de navegação. Ambas têm praias com gente suave, amável e atraem muitos turistas e nativos devido a suas atmosferas tranquilas.”





Newsletter
Cadastre-se para o boletim
* = required field

powered by MailChimp!
x

Ele não conseguia encontrar a sua viagem perfeita?

Popup Form
* Necessário
* Necessário
* Necessário
Não, Obrigado